domingo, 20 de dezembro de 2015

O Despertar do Paladino (Sario Ferreira)


Paladino é um guerreiro sagrado que costuma seguir um código de honra, na maioria das vezes costumam seguir o caminho da justiça. Prestam culto a tipo de deus para conseguirem proteção e recuperação instatânea dos ferimentos.

E neste livro a estória do Paladino Sagrarius é contada. Que no seu passado foi um exímio general do reino de Zophar. Devido sua grandes habilidades conseguiu crescer de forma rápida por ser um guerriro acima da média. Capacidade notável em campo de batalha. O seu reino passa por uma guerra que dura mais de 60 anos contra os inimigos denominados "Os Sombrios".

Após ser ferido fortemente numa batalha, O general Sagrarius recebe um dislumbre da deusa Mainná que mostra que tudo que ele achava ser o certo, não era totalmente a verdade. Ele começa perceber o outro lado da história sobre essa guerra que ele desconhecia. 
A partir daí então, com todas as sua convicções abaladas. Sagrarius abandona seu alto posto no exercito de Zophar e aceita o seu chamado para se tornar um paladino.

O livro é dinâmico por causa do seu foco que se comcentra sempre no personagem principal. Desta forma a leitura ocorre mais fluída. É calro que no decorrrer da leitura aparecem outros persoanegens, que são bem feitos em seus desenvolvimentos. Entre eles o ferrero Krisb, que aparenta (pra mim) mais do que é. O espadachim Yumura que tem perfil mais oriental e maneira serena de lutar e o meu preferido desse livro o anão clérigo Kirion, um desbocado de primeira, que não mede palavras pra dizer o que pensa.

Quero frisar o capítulo de "Torneio de Espadáurea" onde começa ser formada a trinca dos personagens dessa aventura. SAGRARIUS, YUMURA e KIRION, que me remeteu ao trio de outro livro que eu gosto, ARAGORN, LEGOLAS e GIMLI do Senhor dos Anéis. Esses três personagens do livro O DESPERTAR do PALADINO são a base dessa aventura fantástica. Ao ler, você se importa com eles e com a jornada que eles buscam nesse livro.


O que me incomodou um pouco foi os códigos de conduta do Paladino Sagrarius. Por estar disposto a fazer o que é certo, ele acaba sendo um personagem que se cobra muito. Mas lembrando do passado errante do ex-general de Zophar é justicável por causa da sua redenção. Um cara que está a todo custo querendo consertar os seus erros.

No livro O DESPERTAR do PALADINO do autor Sario Ferreira você encontra todas as referências que você pode imaginar numa ficção fantástica. Está tudo lá. O herói, as batalhas e as motivações para seguir está jornada. O caminho é bem conhecido com certeza, mas no decorrer da leitura você se vê bem colocado nesse mundo nas convicções e dúvidas do personagem principal Sagrarius, que através da morte de seu pai e da perda de sua amada, se isola numa jornada de redenção.

Mas essa história ainda continua...


CICERO[N.C.S]

20/12/2015

A VIDA É VELA


A vida é uma vela.

É no olho do velho que vi
que viver é morrer.
Ter pressa pra quê?

Aproveitar a vida nos faz
desperceber o giro atroz da seta,
que pára (pra nós), no bater do último sino.

Por isso, sou mais chegado ao Spencer que ao Horácio.
Esse frenesi de querer matar o tempo...
Aproveitar a vida é fazê-la mais curta.
No tédio jaz a chave de uma vida rendida, apesar de também morrida.

A escolha do ser humano:
Gozar, saciar as vãs e vis vontades da vida e encurtá-la
ou alimentar-se da monotonia pra sentir cada passo dado, sem curti-la (ou seja, alonga-la).

Em ambas as escolhas, a certa verdade:
Viver é morrer (Thanks James),
A sina de todos nós, cadáveres adiados (Grato Fernando).
Todo dia, por mais que você vive, você está morrendo.

Então, se não teme, (en)curta a vida...
Mas lembre-se:
Matar o tempo é matar a nós mesmos e,
no fim, o Carpe Diem não passa de um insano suicídio...



(Sario Ferreira)

25/05/2012

INCONSTÂNCIAS DE UM VIRTUALISTA


Marco as dores
Programadas permanente(mente)
Num local sem opções.

Post(e)s sem luz
Agem destitulados
Na pública individualidade
De dedos incoerentes,
À salvo da culpa (e até pela [por ela]),
Manipulados, não pela mão,
Mas pelo Mestre Invisualizável:
que vive no fechado,
isolado e responsável.

Conheça estes primos:
O Escreve e o Escravo...
Homem - Tempo - Mundo - Leem.

No fim, figuram-se ações,
Às luzes ausentes
Dos mesmos Post(e)s
Ativos, Atores,
Altivos, Autores,
Tão vivos, tão flores,
Tão servos, tão dores.



(Sario Ferreira)

05/09/2012

PARALESIA


Ali, milimétrica,
moderou-nos a distância.
Eu queria e ela também,
mas um par de extremidades
afastava pescoços;
a ponte em régua
que nos media a resistência
acalentava a vileza frustrada
que nos conectava,
que nos separava.

A régua da mágoa,
a Regra sobr'água
de lágrimas que não caíram,
que não cairão,
mas que cairiam
se fossem as medidas
distintas, em outro universo
matemático de probabilidades em verso.

Irônico é que a régua que me regra,
aqui, entre devaneios caotizados,
segue a minha régua sem regras.
E cá estou eu, entre ti e seus números:
eis minha vingança,
inofensiva
e incalculada.


(Sario Ferreira)
05/11/2012

MANIQUEÍSMO


O mal mal percebeu um dia que não era mau
até bem saber que seu amigo bem
bem estava equivocado que só era bom:
mal discutiu mal o assunto mau com o bem,
e, por conta de um conflito mal resolvido,
ficaram bem maus os dois.

O mal bem acreditava que não era mau,
mas o bem mal cria na acusação de que não era bom.

O bem pensou: como posso ser mau assim sendo tão bom?
Mau é o mal por me achar mau.

O mal pensou: como o bem pode ser só bom se não aceita que é mau?
Bom sou eu que me sei mau, sem ser mau em contradizer o bem mau.

Não mais se falaram:
O bem mau com a dúvida,
O mal bom com a certeza.

E nunca se acordaram.

 

(Sario Ferreira)
14/01/2014

MEIOS


Exausto e sozinho, ele olhou para o pico da montanha, então para o sopé...
Pensou alto e falou baixo:

"No fim, qual princípio determina o que é o começo e o final?"

"O meio." Respondeu-lhe.

Olhou e viu uma pedra.

Mal tinha percebido ele,
Com retinas que um dia se fatigariam,

Que no meio do caminho
Tinha uma pedra.

Quando, na verdade, ele,
no meio da pedra,
buscava um caminho.



(Sario Ferreira)

25/10/2013

sábado, 12 de dezembro de 2015

RETROCESSO


Me faz pensar naquilo que ficou
Preenche o vazio no meu peito
Sua atenção traz a minha cura
Completa aquilo que é perfeito.

Mudando um pouco do mundo
Vou rascunhar coisas da casa
Quero lembrar as coisas de antes
Da vida mais simples sem nada.

Escolhas do bem  ou do mal
Não tem mais volta, sem saída
Porta destrancada proposital
Retorno agora para outra vida.

Sem pisar nas pedras de ontem
Minha alma andou no deserto
Continuação do nosso regresso
Andanças antigas no rumo certo.



CICERO[N.C.S]
12/01/2002

AS CRUZES


Aquele dia no parque
Vi você como um girassol
Andando em jardins perdidos
Cheirando os aromas de inverno.

No domingo tudo é sagrado
E a gente só fala bobeira
Se apega a todos que ama
Risos a trezentos por hora.

Tradicione as coisas do futuro
Nem toda noite é escura
Você procura memórias tristes
E um monte de moedas no altar.

Senti saudade dos adereços
Dos tempos mais loucos
Da vida mais simples
E quando a fé era verdade!!!


CICERO[N.C.S]

14/05/2006

Rabindranath Tagore


Se fechar a porta para todos os erros, a verdade ficará lá fora.


(Rabindranath Tagore)

Millôr Fernandes


Há duas coisas que ninguém perdoa:
nossas vitórias e nossos fracassos.


(Millôr Fernandes)

Kim Motta


Vou ousar até a vida duvidar.


(Kim Motta)

SEGREDOS


Eu procuro um amor
Que ainda não encontrei
Diferente de todos que amei.


Nos seus olhos quero descobrir
Uma razão para viver
E as feridas dessa vida
Eu quero esquecer.

Pode ser que eu a encontre
Numa fila de cinema
Numa esquina
Ou numa mesa de bar.

Procuro um amor
Que seja bom pra mim
Vou procurar
Eu vou até o fim.

E eu vou tratá-la bem
Pra que ela não tenha medo
Quando começar a conhecer
Os meus segredos.

Pode ser que eu gagueje
Sem saber o que falar
Mas eu disfarço
E não saio sem ela de lá.


(Roberto Frejat)

VIDA


A vida amou a morte
mais do que havia para morrer.

Na beira da cama,
o sândalo dos pés
convidava-me
a renunciar as sandálias
e debulhar a palha noturna.

Apaguei os pensamentos
na espuma da pele.

Abandonar o paraíso,
a única forma
de não esquecê-lo.


(Carpinejar)

HOMEM-FORMIGA (2015)


Você nunca viu um herói tão grande.

A fórmula equilibrada de humor e ação que marca os filmes de baseados em histórias em quadrinhos tem dado muito certo na Marvel. E com HOMEM-FORMIGA que não é conhecido do grande público, foi outro grande acerto.  Super-herói mal explorado nas HQ's é mais uma vez a Marvel provando que não existe super-herói desconhecido quando seu time criativo está no caso.

E como origem, é uma boa história; a melhor parte de Homem-Formiga. Dos dramas pessoais dos personagens principais, passando pelo treinamento de Scott, tudo é bem desenvolvido. Os efeitos especiais são bem convincentes no filme.  Em especial a cena inicial, onde vemos um Michael Douglas 20 anos mais jovem. O segundo melhor rejuvenescimento por computador que já vi até hoje. E também da miniaturização constante a que se submete o herói os efeitos são bons, fluidos; mas não são espetaculares. Por exemplo, as formigas não estão perfeitas em termos de textura.

HOMEM-FORMIGA chegou  para preencher o espaço entre “Era de Ultron” e “Guerra Civil”, apresentando um novo personagem sem interferir nos acontecimentos dos outros filmes. A aventura, porém, vem bem amarrada ao restante do universo heroico, trazendo citações, referências e até uma participação especial, além da tradicional cena pós-créditos.


NOTA: 9

CICERO[N.C.S]

12/12/2015

Biografia de uma Árvore (Carpinejar)


A poesia de "Biografia de uma Árvore" buscam transcendência, as palavras do livro mergulham no estado vegetal estabelecendo um contraponto com a superficialidade e espetacularidade do agora. "Uma árvore biografada é a culminância do anonimato."

Como o próprio poeta descreve a poesia do seu livro como a orelha da árvore, ouvido do orvalho, audição das vacilações e das pequenas derrotas. Numa espécie de diálogo narrativo e atormentado com as pretensões do divino. 'Biografia de uma árvore' oferece três versões - autorizada pelos pássaros (visão do médico), autorizada pelas raízes (ponto de vista do narrador poético) e autorizada pelos frutos (observações dos filhos). O cenário temporal é 2045, numa fictícia eclosão da Terceira Guerra.

Sua ascendência nos seus versos é a transposição do inalterável do destino e a vivência nos termos assistidos pela percepção das naturalidades em comum na retidão do que pode ser aplicado no dia a dia. E quando certos detalhes nos passam despercebidos no cotidiano, mas podem ser atravancados numa odisseia que poucos terão percepção de entender os mecanismos da rotina.

Muito mais do que um livro de poesias ficcional, é a sistemática de uma árvore que vai passar no desapercebido montante do que podemos encarar como vida.



CICERO[N.C.S]

12/12/2015

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

CARTA BASE


Sobretudo na esfera

Focalizo os pés descalços
Ingratos do meu feito ardente
Por isso neutro ao que sente.

Minhas sombras incentivam refúgio
Culminando as datas extintas
Os intentos da boca foram resgatados
Pulsações atordoam dizeres reclamados.

Dito invocações da minha carta
Contornando nuances do pretérito
Fazendo decretos do meu sentido
Refaço o que me foi resumido ! ! !


CICERO[N.C.S]

21/10/2011

AVISO dos ENGENHEIROS


Envolvido num disparo
Luzes descem sobre ti
O que fecha no mirar
Seu céu paíra sobre mim.

Entoando alegações puníveis
Vozes dos sonhos me feria
Fatal meio tribunal
Seu mundo luxo entorpecia.

Encarando adjetivos artificiais
Te deixo uma sobra bem vista
Numa moral plenitude
Segue seu mistério sem pista!!!


CICERO[N.C.S]

20/11/2015


*
Poema dedicado ao meu irmão Julio Cesar Asbahr

NOS OLHOS QUE ESCONDEM FORÇAS


Ultrapasse de uma vez essa coisa real
Aprendemos a forçar a barreira da visão
No seu corpo um mundo de possibilidades
Derrube as fronteiras além da paixão.

Mudei minha fala para seus ouvidos
Digo isso após você queixar tanto
Subitamente posso dizer: eu te amo!
Não entendo porque é por enquanto.

Queria um mundo simples pra nós dois
Vi na tv uma pessoa querendo se matar
Até parecia um pouco perdido comigo 
Nada volta das estrelas sem luz pra guiar.


CICERO[N.C.S]

21/06/1998

Roberto Shinyashiki


Ter fé é acreditar na vida 
mesmo quando tudo é adverso.


(Roberto Shinyashiki)

Machado de Assis


Já raro e mais escasso
A noite arrasta o manto
E ver te o último pranto
Por todo o vasto espaço.

(Machado de Assis)

Kim Motta


Cativar não é ser responsável.
É não ser qualquer um.


(Kim Motta)

QUEM TEM CORAGEM NÃO FINGE


É preciso ter um tempo longe daqui, tempo de ficar só.
De andar na areia e sumir...
Amor verdadeiro não reage assim, pode fazer melhor,
esconde o medo e sorri.

Quem já nadou contra a corrente sabe usar o vento a favor.
Só o momento é diferente, é a mesma ferramenta que usou.
Eu não preciso mais fazer o que você diz, dê valor ao meu suor. 
Ninguém decide por mim.
Se eu agi errado me perdoa, porque eu não quis
amarrar outro nó que prende pra dividir.

O que impede de andar pra frente é a direção que escolheu.
Se um abismo separa a gente quem fez a escavação não fui eu.
Eu sei que gente que tem coragem não finge que nada disso aconteceu.

Quando eu acordei era fim de tarde, meu lado claro escureceu 
(um novo Sol só de manhã).
Faz envelhecer tendo a mesma idade de tanto que a alma sofreu.
Eu sei que gente que tem coragem não finge...


(Rodolfo Abrantes)

A RUA dos CATAVENTOS


Da vez primeira em que me assassinaram,

Perdi um jeito de sorrir que eu tinha.
Depois, a cada vez que me mataram,
Foram levando qualquer coisa minha.

Hoje, dos meu cadáveres eu sou
O mais desnudo, o que não tem mais nada.
Arde um toco de Vela amarelada,
Como único bem que me ficou.

Vinde! Corvos, chacais, ladrões de estrada!
Pois dessa mão avaramente adunca
Não haverão de arrancar a luz sagrada!

Aves da noite! Asas do horror! Voejai!
Que a luz trêmula e triste como um ai,
A luz de um morto não se apaga nunca!


(Mario Quintana)

THOR (2011)


Filme baseado na HQ de 1962, inspirada nas lendas dos deuses nórdicos. Filho de Odin, Thor disputa o trono de Asgard com o próprio irmão Loki, que inveja o fato dele ser o preferido pelo pai para substituí-lo e começa conspirações contra o irmão, preterindo que percebam que ele que deve assumir o trono. Banido de sua terra e privado de seus poderes para crescer como líder após uma atitude irresponsável, Thor chega a Terra e se envolve com a astrofísica Jane Foster (Portman), que servirá de contrapeso da história para seu aprendizado e sua redenção. Enquanto isso, Loki tenta salvar seu povo e provar de que ele é um substituto a altura do pai.

A trama parecia que estava correndo demais, e aprofundou pouco no personagem título.  E quando Thor é banido e chega ao planeta Terra foi muito fácil sua personalidade de arrogante para humilde mudar muito rápido. Confesso que esperava mais, mas não deixa de ser um filme legal de assistir, ótima atuação de Chris Hemsworth como o Thor,e Natalie Portman foi um desperdicio de talento para uma personagem que qualquer atriz poderia fazer.

Ele não é ruim, mas a história foi muito forçada para dar espaço aos filme dos VINGADORES que chegaria em 2012. Eles deixarão a história original totalmente de lado e recontaram a origem de Thor. E não deixarão o roteiro tão bom, principalmente por lotarem de clichês bárbaros. Foi aío problema. Os efeitos são ótimos, as piadinhas também não foram ruins, principalmente a da Xena e do Jackie Chan. No mas, o filme é um bom passatempo para os fãs de aventura, até pra quem não gosta da HQ de Thor. Pode ser assistido sem medo, pois não é uma perda de tempo total. Ele é assistivel.


NOTA: 6,5



CICERO[N.C.S]

20/11/2015

Angus - O Guerreiro de Deus (Orlando Paes Filho)


Vamos começar esta resenha com essa frase que é praticamente a linha mestra que rege este livro: 

"A fé é o pilar central das outras virtudes que são necessárias para um guerreiro vencer as batalhas."

Esse foi o primeiro livro que li do Orlando Paes Filho esperando sim, algo épico e com pitadas de ficção medieval. Só depois fui procurar saber que este é o terceiro da saga, por isso, tenho que frisar que eu possa ter começado errado. A história é bem amarrada o livro possui ilustrações maravilhosas que dão um ar cinematografico muito envolvente à história. (Não que eu precise disso para me aprofundar numa história, quando a pessoa sabe escrever bem).

Eu achei que o autor se apegou muito ao lado religioso, deixando de lado o bom andamento da estória. Conversei com algumas pessoas sobre o livro, e me disseram que o primeiro é bem melhor, e que eu devesse dar uma chance ao autor. Pode até ser que sim. Mas eu não achei tão ruim assim esse ANGUS - O Guerreiro de Deus. Apreciei no livro, não só pela linguagem envolvente, mas também pelas mostras da cultura do império romano do oriente, um linda parte da história medival, que estão envolvidas no texto. A história tem aquele tom glamouroso, dos romances de cavalaria.

Achei as discrições das batalhas poucas, e não fluem de maneira a me deixar empolgado, e o autor usa essas ilustrações para falta de dinamismo literário nesses momentos. Agora tem muitas discussões filosoficas e religiosas, nada contra, desde que seja bem dosado.  Tem momentos que o livro torna-se um pouco massante e difícil de acompanhar. Os personagens deveriam ser mais aprofundados para maior identidade e apego na leitura. Entendo que os diálogos são anacrônicos pelo contexto que a estória pede, mas parece que é muito esforço para colocar isso no papel. 
Seus guerreiros falam como padres tentando impressionar, e nem ao menos padres medievais. As vezes me lembrando o jeito prepotente do personagem Thor da Marvel falar. Cheio de firulas.

O livro é recomendado para quem gosta de produtos com temática medieval, e que mostram a superação para conseguir seguir em frente após uma grande derrota ou perda, demonstrando com palavras e imagens que devemos sempre confiar em algo maior nos momentos de desespero e fraqueza, pois sempre teremos de onde tirar forças para continuar em frente, mesmo parecendo impossível.


Angus MacLachlan precisará lembrar das virtudes que repousam no sangue de seus ancestrais e invocar, acima de tudo, a Justiça Divina, a fim de tornar-se um “Guerreiro de Deus”.

CICERO[N.C.S]
20/11/2015

domingo, 15 de novembro de 2015

O SILÊNCIO


Uma bolha sobe do fundo do mar
Uma palavra sobe das funduras do silêncio
Inesperada, emissária de um mundo esquecido
Nosso mistério, nossa oração
Há palavras que dizemos e outras que se dizem
Existem em nós, não atendem a nossa voz
"São como o vento que sopra onde quer
Se ouvirmos o sopro, palavras de oração"

Pássaro selvagem que mora em nós
Longe do que nós sabemos, no lugar dos sonhos
Fora da morada dos pensamentos
Temos medo das palavras que se dizem
Por isso falamos, palavras contra palavras
Quando orares, não sejais como artistas
"Que falam palavras que não são suas,
que usam máscaras decoradas"

Entra no silêncio, longe dos outros
Que as palavras se dirão, depois da espera
Entra no silêncio, longe dos muitos
E escuta uma única palavra
Que irá subir do fundo do mar
Basta ouvir uma vez e depois, o silêncio.


(Kim Motta)

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

HULK (2003)


HULK Shrek de Ang Lee


Um filme pesado na parte dramática, com as ótimas cenas de ação a chegarem muito tarde durante o filme. O Hulk de Ang Lee é o mais diferente filme do gênero de super-heróis, com excelentes atores e com uma estética e edição muito bem conseguidas, que infelizmente relegou as sequências de destruição - a marca característica do gigantesco herói da Marvel  para segundo plano.

Aliás, Ang Lee acertou em cheio na concepção estética do filme, aproximando-o da linguagem dos quadrinhos na montagem, nos detalhes dos enquadramentos e no uso constante do recurso de divisão da tela, como se estivéssemos diante de uma página de gibi. Os efeitos são bons e por vezes espetaculares, o tão discutido Hulk digital é incrivelmente detalhado em closes e possui boa integração, mas se movimenta de maneira leve demais para uma criatura desse tamanho e densidade. A animação acaba dando uma sensação de Cartoon e vai se tornar mais um item de reclamação aos que se desagradarem do filme.

Por esse fato Hulk resulta um filme desconcertante e assim como seu personagem, esquizofrênico. Sério, mas envolto em uma aura de personagens e situações caricatas o que, analisando mais a fundo, é exatamente o que existe na alma de toda história em quadrinhos de super-heróis! É uma história adulta em um ambiente fantasioso e absurdo, Ang Lee capturou isso na tela como nenhum diretor conseguiu até agora, o que foi ressaltado ainda mais por um tratamento visual extravagante que coloca inúmeras fusões e telas divididas dando ao filme a sensação de uma graphic-novel em movimento.
 

O problema mais grave do filme é o monstrão digital, que parece um Shrek marombado e saltitante, sem a graça e expressividade de seu “primo” verde. Até há uma cena ridícula de luta, quando ele se confronta com cães modificados geneticamente, mas é muito pouco para aquilo que deveria ser o principal chamariz do filme. A decepção é maior para quem era fã do seriado de TV e se lembra bem de Lou Ferrigno como o Hulk, muito mais simpático e real que esse Hulk da era digital. Embora Ferrigno faça uma brevíssima aparição no filme como um policial junto com Stan Lee, para os nostálgicos a melhor coisa a fazer é alugar o DVD com episódios do seriado, que está sendo lançado por esses dia.

NOTA: 6


CICERO[N.C.S]

11/11/2015

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Conspirações (Edson Aran)


Confesso que pensei que seria algum livro cheio de paranoias e tentando provar um monte de coisas. Para mim ficou nítido que o autor se divertiu escrevendo este livro. A forma como ele narra e ironiza tais conspirações, é bárbara. As analogias e comentários sarcásticos são o ponto alto do livro.


O livro enfoca basicamente, de forma resumida e dinâmica (através de verbetes) as principais teorias da conspiração que surgiram e foram propagadas mundo afora no decorrer de dois milênios de história humana. E para quem ainda não sabe, teoria da conspiração é uma teoria que supõe que um grupo de conspiradores está envolvido num plano e suprimiu a maior parte das provas desse mesmo plano e do seu envolvimento nele. O plano pode ser qualquer coisa, desde a manipulação de governos, economias ou sistemas legais até a ocultação de informações científicas importantes ou assassinato de pessoas que se colocaram em seus caminhos.

Apesar de não ser um livro completamente original, pois existem outras publicações que podem ser consideradas mais sérias do que esta, o autor teve o mérito de torná-lo mais acessível e de fácil assimilação para seu leitor, de uma forma até divertida: logo após de apresentar uma teoria das conspiração, ele enumera, com muito humor e sarcasmo, tudo o que já se escreveu e se imaginou a respeito desta mesmíssima, incluindo-se então novas teorias e desdobramentos que muitas vezes não são nem um pouco ortodoxos, geralmente tirando sarro de alguém ou alguma instituição muito famosa.


CICERO[N.C.S]

10/11/2015

domingo, 1 de novembro de 2015

CICERO [N.C.S] = Vida e Vinda


Para todas 
as certezas tolas da vida,
os enganos certos da vinda.

CICERO[N.C.S]
1º/11/2015

SUBITAMENTE FIM


Como locomotiva sem som
Como um temporal sem aviso
Como lembrança ferida
Como uma vida interrompida
Como um aborto espontâneo
Como saudade sem obrigação
Meus olhos ainda vão reter 
Alguma alegria na escuridão!!!


CICERO[N.C.S]

01/12/2010

*Poema dedicado ao ator Heath Ledger

CÍRCULO dos INSTANTES


Rasga a garganta

Não deixei recriar
Reparei a linha torta
Tempo seco maculado.

Moléculas de ar me castigam
O cÍrculo favorece restauros
Mesmo longe sinto elevações
Indicação do corpo recuperado.

Desfalece os sentidos negativos
Sinto você em cada entranha
Não deixei contra minha vontade
Cada célula guardou sua idade ! ! !


CICERO[N.C.S]

25/10/2011

HORA OCULTA de TI


Delito da minha opção
Além das cinzas marcadas
Quantifico paixão de Cristo 
Refluxo das estrelas doadas.

Rareando as horas em peso
Desvela o infinito do olhar
Nas mensagens ocultas do fim
Torno seu nome subliminar.

Colhendo os números sagrados
Ligação cicatrizante na ferida
Adverte a engrenagem cardíaca
Parte da marca mostra total vida ! ! ! 


CICERO[N.C.S]

30/11/2011

Primeiro Sorteio do Blog

                   Olá pessoal ! ! !

E com muita satisfação que venho aqui convidá-los para participarem do primeiro sorteio do Blog CASTELO de MARCAS. O vencedor receberá o credito de R$ 30,00 em um livro para ser retirado na

                     USADOS com ARTE

Essas são as regras:

1- Morar ou ter endereço de entrega no Brasil.
2- Seguir este blog publicamente em ASSINANTES, na lateral direita, clique na opção participar deste site:



 
3- Curtir a Fan Page no Facebook: também na lateral direita:


4- Escreva um comentário nessa postagem com seu nome completo, nome de seguidor e E-mail para contato.

Quer mais chances extras? Siga-me no twitter e no Google+ Clicando nestes links e escreva outro comentário com nome completo e nome de usuário do twitter e Google+.

USADOS com ARTE: https://www.facebook.com/Usados-COM-ARTE-443297715744071/?fref=ts
TWITTER:  http://twitter.com/CICEROncs
GOOGLE+: http://plus.google.com/+CICEROncs/about

IMPORTANTE! Só é permitido escrever 4 comentários, um por ser seguidor do blog e curtir no Facebook (regra geral) a outra por me seguir no twitter e a outra pelo Google+. Os comentários serão numerados de acordo com a ordem  que forem escritos e este será seu número de sorteio.

OBS: Para numeração do sorteio é obrigatário deixar comentário nesta postagem.


 As inscriçoes são do dia 1º de novembro até o dia 31/12/2015, e o sorteio será feito no dia 05/01/2015 e o resultado será divulgado 48h após a data do término do sorteio aqui nesse mesmo post. Entrarei em contato através do E-mail cadastrado no comentário e a vencedora ou vencedor terá 72h para responder enviando o endereço para receber o livro. Para você que mora fora da região metropoliatana de Belo Horizonte, será enviando seu prêmio através do PAC dos correios.

Participem!!!

Fabrício Carpinejar


Regulei minha biografia 
com a idade das promessas.


(Carpinejar)

Affonso Romano de Sant'Anna


Nunca direi a verdade absoluta
pois o que exponho
não é sequer vitória,
mas uma parte da luta.


(Affonso Romano de Sant'Anna)

Thiago de Mello


Porque ainda resisto a dizer tudo,
quando o decidi foi simplesmente
tudo aceitar, a começar por mim ?


(Thiago de Mello)

Manuel Bandeira


Captarás numa palpitação inefável

o sentido da única palavra essencial 
- Amor.


(Manuel Bandeira)

FARMÁRCIA, HOSPITAL e DOR


Quem esconde a realidade finge, 
faz pose, quer sempre dar a 
impressão que está bem, quer 
mostrar-se perfeito, bonzinho etc., 
está acumulando toneladas de 
peso... uma estátua de bronze, 
mas com pés de barro. 
Nada pior para a saúde que 
viver de aparências e fachadas. 
São pessoas com muito verniz 
e pouca raiz. Seu destino é a 
farmácia, o hospital, a dor.


(Drauzio Varella)

O DUPLO


Debaixo de minha mesa
tem sempre um cão faminto
-que me alimenta a tristeza.

Debaixo de minha cama
tem sempre um fantasma vivo
-que perturba quem me ama.

Debaixo de minha pele
alguém me olha esquisito
-pensando que eu sou ele.

Debaixo de minha escrita
há sangue em lugar de tinta
-e alguém calado que grita.


(Affonso Romano de Sant'Anna)

UM SONHO DE LIBERDADE (1995)



Baseado no romance de Stephen King, Um sonho de liberdade se debruça sobre injustiças, falcatruas, criminosos, sistemas carcerários, mas principalmente sobre a amizade e a esperança. Tudo gira em torno da amizade de homens inocentes ou não, condenados a cumprir pesadas penas na prisão. Amizades construídas a partir de sinceras relações de apoio; seja na socialização de conhecimentos ou em não deixar que o outro perca a esperança, mesmo quando ela está longe dos olhos.

Um condenado a prisão perpétua que conhece bem as regras da prisão estadual Shawnshank. Robbins é o recém-chegado Andy Dufresne, um banqueiro quieto injustamente condenado por assassinato. O espírito indomável de Andy ganha a amizade de Red; sua habilidade em solucionar problemas no dia-a-dia da prisão traz novas esperanças e mudanças à vida dos prisioneiros.


Misturando o humor do personagem Heywood (William Sadler) e seu amor por Hank Williams, a tristeza e solidão de Brooks (James Whitmore), o terror que aparece nas investidas do homossexual Bogs (Mark Rolston), na violência do Capitão Hadley (Clancy Brown) e na aparente onipotência do diretor Norton (Bob Gunton), Um Sonho de Liberdade consegue passar sua mensagem de perseverança e superação em um drama que transita facilmente entre vários gêneros e por isso mesmo torna-se um filme agradabilíssimo de ser assistido.


O filme, assim como o livro é emocionante e te deixa com aquela sensação de já conhecer o rosto dos personagens, se assistido antes da leitura. Ambos são indicados e garanto-lhes a satisfação. Passa a mensagem de que sempre haverá luz no fim do túnel, é necessário tão somente levantar-se e dar o primeiro passo em direção da liberdade e do sol. É excelente, pois retrata a crueldade, a corrupção nas prisões e a trajetória dos que a ela se submetem, mostrando a violência, o humor e a esperança de uma maneira agradável.

São várias as ideologias surgidas a partir daí; o tema sugere “é necessários construir metas coerentes”; já o enredo enfatiza: “A sociedade é corrupta e corruptível”, “vive-se em uma era em que os valores morais, muitas vezes, são substituídos pelos valores monetários”, “o suicídio é um fato social e é coletivo”, “Há vários tipos de prisões: a do eu (interior) e as sociais (exteriores)”, “A esperança e a persistência são formas de vencer os desafios”.

Concluo que Stephen King não é só um autor que escreve Contos de Terror. Mas um escritor que realmente impõe sentimentos em seus textos. Termino deixando essa frase do fime que eu quero dividir com vocês e que particularmnte me chamou, muito a minha atenção. Fala sobre ESPERANÇA.

"Há lugares no mundo que não são feitos de pedra. Há algo dentro de nós que eles não podem tocar."(Andy)

NOTA: 10


CICERO[N.C.S]
1º/11/2015

Por Um Fio (Drauzio Varella)


"POR UM FIO" é um livro que fala da vida e das tantas faces que ela se mostra, com tantos acontecimentos, tantas histórias, cada universo único que é o humano e a luta por um fio de vida, ou pelo rompimento do fio de vida que atormenta. Ele relata histórias que põem o leitor diante de questões delicadas, difíceis mesmo para quem lida com elas em sua rotina profissional. De um lado, a reação dos que se descobrem doentes, que vai da surpresa à revolta, do desespero ao silêncio e à aceitação. Contando histórias reais, reflete sobre o impacto da perspectiva da morte no comportamento de pacientes e seus familiares. 

O que mais me chamou a atenção foi o fato de, apesar de tratar de um tema tão delicado, como a morte, não recorre ou justifica os males como vontade divina. É um livro real. A moral da história é mais uma questão filosófica. A proximidade da morte leva todos a um estado de espírito completamente diferente de tudo o que já vivenciaram. Para muitas pessoas, as doentes ou as que as acompanham, este é um momento de redescoberta da própria vida, onde os valores são revistos.


Ele relata histórias que põem o leitor diante de questões delicadas, difíceis mesmo para quem lida com elas em sua rotina profissional. De um lado, a reação dos que se descobrem doentes, que vai da surpresa à revolta, do desespero ao silêncio e à aceitação. Do outro, a atitude dos parentes, que varia da dedicação incondicional à pura mesquinharia, da solidariedade ao abandono. E Drauzio conta ainda episódios surpreendentes de mudança de vida, como se a visão da morte fosse quase uma libertação, um divisor de águas que confere novo sentido ao por vir.

O livro é triste, mas ao mesmo tempo vem com esperança. Esperança de que existem médicos que tocam no ponto certo da alma do paciente e de sua família. Um livro onde a morte está presente o tempo todo, porém, muito bem escrito, no qual ele discorre sobre as impactantes ocorrências diárias na vida de um médico oncologista, no caso, ele próprio. 


CICERO[N.C.S]
1º/11/2015

sábado, 31 de outubro de 2015

PREMISSA do ESQUEMA


Incide o resultado
Atrevo insistir
Mudaram o passado.

Prova que voltou

Coração friento
Alguém se importou.

Tudo tem razão
Ciclo derrotado
Nada por acaso.

CICERO[N.C.S]
31/10/2015

PLANO de MÉRITO


Retraiu sobre a vida
Hipóteses deixadas
Vê se tem saída.

Cuidado onde pisa
Especulações na mão
Verdade dividida.

Alguma coisa não dita
Espaço que afasta
Pensou melhor na vida.


CICERO[N.C.S]

30/10/2015

Carlos Drummond de Andrade


Ser feliz sem motivo é a mais
autêntica forma de felicidade.


(Carlos Drummond de Andrade)