sábado, 26 de setembro de 2015

A CANÇÃO da TEMPESTADE


A chuva e seus pingos
Molham minha carne imperfeita
E os anjos estão cantando
Com o som da tempestade.

Olhe como a chuva cai
Ouça a fúria dos relâmpagos
E a voz dos trovões
E os anjos tocam a canção da tempestade
Uma canção triste e silenciosa
E a chuva cai, trazendo uma mágoa e uma solidão.

E o meu corpo molhando
Se recupera da dor mal-vinda
Lágrimas se misturam com a chuva
Se tornando inseparáveis
Meus olhos se colocam no lugar pra não detê-las.

Vejam os anjos brincando na chuva
Vejam o meu corpo molhado
Vejam a canção da tempestade
Vejam os anjos tocando está canção.

(Eduvaldo de Sales)

0 comentários: